Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OuremReal

OuremReal

11.02.18

O crime não compensa!


ouremreal

No dia 4 de Julho de 2010, cerca das 15.45, um avião ligeiro do aeroclube de Leiria, vindo da Covilhã, com instrutor e aluno, aterrou de emergência no IC8, em Chão de Couce, Ansião, por falta de combustível. Com a ajuda de populares o avião foi levado para fora do IC, para uma estrada particular. Depois de reabastecido descolou dessa estrada por volta das 19 h, rumo ao destino que, presumo, seria o aeroclube.

Esta “habilidade” valeu ao piloto uma coima de 3600 euros por ter descolado em local não certificado para o efeito e outra de 2200 por não ter notificado a ANAC (Autoridade Nacional de Aviação Civil) pela aterragem de emergência.

A sentença proferida pelo tribunal de Santarém, no passado dia 2, alterou, após impugnação, a decisão inicial da ANAC que tinha aplicado 2 coimas de 4000 € cada uma. Digamos que o tribunal demorou, mas… aproveitou! Foi mais “amigo” que a ANAC!

Moral da história (se é que há alguma moral nisto): aterrar de emergência por falta de combustível, sem uma beliscadura, nem no pessoal, nem na máquina, nem no património alheio e descolar em segurança e chegar ao destino, são e salvo, e dentro do programado já foi feito digno de…não direi louvor, mas…digno de apreço! Outros tempos, outros contextos, outras obrigações e outras soluções! Resta saber se deixar o avião onde aterrou, desmontá-lo e transportá-lo para o destino seria mais barato ou não! Porque 5800 euros em coimas…parece dinheiro a mais para tão pouco “crime”! Mas, pronto…lei é lei! Regras são regras! Há que cumpri-las! Mesmo que a lógica pareça uma batata! Como costuma dizer-se: O “crime” não compensa!

 

O.C.

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.