Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OuremReal

OuremReal

24.09.18

Apoio a militares


ouremreal

Acho muito bem que se apoiem todos os militares que regressam de missões no estrangeiro, quer em teatros de guerra, quer em missões de apoio mais pacífico, na medida das suas necessidades, mesmo que tenham ido para elas voluntariamente. Mas, sobre este assunto dos apoios a combatentes, repito o que sempre tenho dito: É vergonhoso, é uma imbecilidade que, desde 1974 (para não falar no antes 74, que era igual) que nenhum dos poderes democraticamente eleitos pelos portugueses se tenha preocupado e atuado, com a devida atenção, para com os ex-militares que serviram as nossas forças armadas durante os 13 anos da guerra colonial e que, por via disso, viram as suas vidas desfeitas e as das respetivas famílias. Foram centenas de milhar de jovens (e outros menos jovens) que se viram atirados, a larguíssima maioria a isso foi obrigada, para uma guerra que, além de não entenderam, também não estavam para ela preparados. Uns milhares perderam a vida! Muitos outros nunca mais foram como antes! Alguns já faleceram! Já deixaram de ser “problema”! Outros ainda andarão por aí, alguns a penar, sem que o Estado, o tal que os mandou para a guerra, lhes dispense os cuidados de que precisam e merecem!

1974 já foi há 44 anos! Os “jovens” que fizeram a guerra estarão com idades a rondar os 75 anos, uns mais outros menos! O que quer dizer que mais 10 anos e o “problema” estará resolvido! Ou muito perto disso, porque já sobrarão poucos!

Esta será a maneira mais ordinária, mais baixa, mais indigna de um país que se diz civilizado, de resolver um problema desta dimensão, desta sensibilidade!

E mais uma coisa: Nunca esquecerei os militares africanos que serviram as nossas forças armadas, voluntários ou obrigados, pouco importa, e que na data da retirada dos nossos exércitos foram lá deixados, abandonados, entregues aos desvarios mais diversos de movimentos e contra movimentos que se preocupavam, essencialmente, com a disputa do poder e que não olhavam a meios para atingir os fins em vista.

Culpados? Muitos! Antes e depois de 74! Militares e políticos! E nós todos que andamos há décadas a votar em gente a que não temos exigido que cumpra, com dignidade, o seu dever para com os que serviram a Pátria nas guerras para que foram mandados.

 

O.C.