Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OuremReal

OuremReal

12.01.17

Aos 65 anos


ouremreal

Há uns tempos, um idiota qualquer que anda por aí, classificou os mais idosos como “peste grisalha”. Assim como que uma calamidade social a que urge pôr fim…! Não cheguei a saber se o tal idiota acabou, ou não, por propor uma solução para o “problema”! Nem isso teria grande importância se ele fosse o único a pensar que os mais idosos são uma ameaça social e, como tal, a merecerem uma vigilância apertada. Não no sentido de lhes dar melhores condições de vida, mais apoio e acompanhamento aos que deles necessitarem, mas no sentido de lhes dificultar a vida e, com algum artifício e falso moralismo pelo meio, lhes sacar mais uns euros!

Afinal, ao que parece, a idiotice alastrou!

Sim, porque se o que passo a transcrever, for mesmo assim, receio que estejamos perante uma perseguição inqualificável:

A idade, as doenças e os efeitos da medicação nas pessoas acima dos 65 anos faz com que os condutores que queiram fazer a renovação da carta de condução tenham de fazer uma formação obrigatória para atualizarem os seus conhecimentos”.

Com esta “determinação” ficaríamos a saber:

- Que a idade, as doenças e os efeitos da medicação até aos 65 anos não têm importância nenhuma; no dia seguinte ao 65º aniversário, são uma desgraça!

- Qualquer cidadão, com menos de 65 anos, mais doente, menos doente, mais medicado, menos medicado, mais “marado”, menos “marado”, pode continuar a conduzir, tranquilamente, porque não precisa de "atualizar os conhecimentos"!

- Qualquer cidadão, com 65 ou mais anos, por mais saudável que seja, mesmo que nunca tenha tomado um comprimido, é obrigado a fazer formação, porque precisa de “atualizar conhecimentos”!

- Não sabendo, exatamente, o que significa “atualizar conhecimentos”, receamos que “formação obrigatória” seja qualquer coisa que se tenha de pagar!

É claro que a idade “estraga”! Mas não estraga só a partir dos 65;

É claro que as doenças “estragam”! Umas mais do que outras, naturalmente! E até podem “estragar” mais antes do que depois dos 65; Não escolhem idades!

É claro que a medicação pode “estragar”! Antes e depois dos 65!

Toda a gente sabe que assim é!

E ninguém de bom senso pode deixar de ficar preocupado com tanta barbaridade que se vai fazendo por aí, ao volante, nas nossas estradas. Agora, descarregar a “fúria” das preocupações em cima dos “65”, não é, apenas, ridículo, é também, a demonstração de que há gente que não sabe o que anda a fazer. Ou, o que seria mais grave, sabe muito bem o que anda a fazer: atacar os mais vulneráveis, os mais fragilizados, os que têm menos capacidade para se defenderem, os que não têm sindicato que os defenda, os que não podem fazer greve que comprometa o que quer que seja. E isto é, no mínimo, uma cobardia!

 

O.C.