Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

OuremReal

OuremReal

15.11.07

A guerra


ouremreal

Colonial, do ultramar, ou de libertação? Três nomes possíveis para uma guerra que não passou de uma inutilidade, estupidamente mantida durante 13 anos, para fecharmos, da pior maneira, os 500 anos de "império"; ou seja, fomos escorraçados, humilhados, viemos com uma mão à frente e outra atrás, como se costuma dizer, quando podíamos ter saído de cabeça erguida, pelo nosso pé, pela nossa vontade, marcando o nosso tempo. E muitos dos que saíram poderiam e deveriam ter ficado. Tinham esse direito!

Guerra colonial? Pois, como não soubemos ser coloniais e virámos colonialistas, tivemos que aguentar com as consequências e quando quisemos deixar de ter colónias e começámos a chamar-lhe províncias ultramarinas, já não fomos a tempo; o mundo já nos tinha rotulado com esse mimo.

Guerra do ultramar? Bem, segundo o regime de então... " muitas raças, vários povos, uma só nação"... o Portugal uno e indivisível, do Minho a Timor, tinha províncias, que, por sua vez, se dividiam em distritos, estes em concelhos, e por aí adiante. Só quando o termo colónia começou a ter um sentido depreciativo, e a pressão internacional apertou, se mudou o nome e surgiram as províncias ultramarinas. E aí vamos nós " para Angola já e em força", depois de Goa ,Damão e Diu - O Estado da Índia - e o que mais se lhe seguiu.

Guerra de libertação? Qual libertação? Nunca entendi muito bem quem queria libertar quem, porquê e para quê; não tenho dúvidas de que muitos dos "libertados" não deram por isso; tenho a certeza que muitos dos "libertadores" aproveitaram bem a sua liberdade; mas a minha maior certeza é que Portugal se libertou dum pesadelo - a guerra; adjectivem-na como quiserem.

São os episódios que a RTP 1 apresenta às terças feiras sobre este assunto que me fazem recordar estes treze tristes anos, que me fazem pensar como éramos ( e somos )como povo e como país e que me deixam a falar sozinho.

 

O.C.