Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

OuremReal

OuremReal

20.07.11

A Troica da Troika


ouremreal

Até eu ia acreditando...!!!

Que José Sócrates era a causa de todos os males que iam acontecendo a este pobre país...!!!

De facto, não era verdade!

Pensando bem, Sócrates era um misto de causa e efeito.

Causa, porque da sua estratégica visão e ação, da sua vontade própria, enquanto 1º ministro, sairam decisões que em nada contribuiram para que deixássemos de caminhar para a situação a que chegámos; e, depois, porque da ação do seu governo e por vontade e decisão doutros, continuámos a caminhar no mesmo sentido.

Efeito, porque uma grande percentagem do que teve de ser feito, ou deixou de se fazer, quando era preciso que se fizesse, resultou de forças exteriores que forçaram a que o caminho percorrido não fosse o que era desejado.

E, aqui, faltou-lhe em coerência o que lhe sobrou de coragem! Porque, quando percebeu que não tinha condições para governar de acordo com o seu programa, os seus objetivos, a sua ideologia, as suas promessas, deveria ter, muito simplesmente, apresentado a demissão do cargo.

Não o fez, e o resultado aí está! Bem à vista de todos! Não tenho a certeza de que, se o tivesse feito, o resultado fosse muito diferente! Mas, pelo menos, os salvadores da pátria, que não salvam nada, teriam que ter mostrado, há muito mais tempo, o que, na verdade são e do que são capazes.

Sabia-se, sabe-se, que a direita não convive bem com algumas das normas que caraterizam a nossa Constituição, nomeadamente o que respeita a setores público e privado, áreas de intervenção e responsabilidade do Estado, serviço nacional de saúde, trabalho e segurança social, educação. A direita costuma dizer "menos Estado, melhor Estado", quando o pensamento oposto "mais Estado, melhor Estado" parece retirar aos privados a capacidade de manobra que os leva a dominar a sociedade, através dos vários poderes de que se servem e à frente dos quais aparece o inevitável capital.

O atual governo é mais uma prova do que a direita representa.

Alteram-se as leis do trabalho. Porquê? Porque a troika mandou? Também. Mas era isso que a direita queria e não tinha coragem para o fazer, nem o disse na campanha eleitoral.

Privatiza-se tudo o que se pode, bem ou mal. Porquê? Porque a troika mandou? Também. Mas era isso que a direita queria e não disse que ia fazer.

Aumentam-se os impostos. Porquê? Porque a troika mandou? Também. Mas era essa a solução que a direita tinha para resolver problemas, mas não disse que ia fazer.

Cortam-se os apoios sociais. Porquê? Porque a troika mandou? Também. Mas era essa a intenção da direita; só que não o disse, porque se o dissesse não tinha ganho as eleições.

A estratégia que vinha sendo lançada, há algum tempo, aí está, a dar os seus frutos. O tal apoio estratégico, pensado, estudado.

Sócrates e o seu governo caíram de maduros! Para que não ficassem dúvidas, aos olhos de todos, cá dentro e lá fora. E nem sequer conseguiu fugir à humilhação de ter de recorrer ao FMI e companhia.

Cavaco Silva, Passos Coelho e Paulo Portas são as figuras do momento. A nossa troica interna (com C, para se distinguir da outra, com K). As televisões, revistas e jornais, rádios e comentadores não se cansam de os repetir, elogiar, entrevistar, mostrar e acompanhar.

E o que é que já melhorou, desde que esta troica nos governa?

Nada! A começar pelos juros da dívida que não param de aumentar; deve ser por excesso de credibilidade do 1º ministro, porque, antes, aumentavam por falta de credibilidade do anterior!

Antes pelo contrário! Até o subsídio de natal "já foi" em 50%. Porquê? Porque a troika mandou? Não, foi porque a troica quis. Por causa do "desvio colossal" (?) e porque esta troica é muito previdente.

E só alguém sobredotado consegue descobrir que um imposto, cobrado na hora e na fonte, sobe a receita, de imediato, já que não se é capaz de descer a despesa!

Por que é que nunca ninguém se tinha lembrado disto!? Realmente...

 

O.C.

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.