Quinta-feira, 27 de Janeiro de 2011
Cidadania

De facto, não sei, ao certo, por que motivo houve pessoas que, por não saberem o número de eleitor, também não sabiam qual a assembleia de voto onde se deveriam dirigir para votar e, por essa razão, segundo julgo perceber, não puderam votar no passado dia 23.

Ao que parece ninguém sabe. Ainda!

Entretanto:

- O Ministro da Administração Interna, depois de pedir desculpa aos lesados, mandou abrir um inquérito para apurar as causas.

- O Diretor Geral da Administração Interna e o Diretor da Administração Eleitoral pediram a demissão dos respectivos cargos.

- Aquele senhor advogado que sabe sempre tudo diz que as pessoas que não puderam votar podem pedir uma indemnização ao Estado.

- Os outros senhores e senhoras, que também sabem sempre tudo, Macedos, Magalhães, Relvas, Pintos, Filipes e C.ia, querem que o Ministro se demita.

O que significa que está aberto mais um capítulo da nossa novela de cada dia.

E, enquanto houver circo, uns divertem-se, outros distraem-se, outros aborrecem-se, outros fazem figuras tristes, e a grande maioria vai pagando a festa.

Se bem entendo:

- Este problema só se põe para quem muda de residência, ou para quem entra pela primeira vez nos cadernos eleitorais.

- O cartão do cidadão não tem o número de eleitor. E toda a gente sabe.

- O recenseamento é automático na freguesia da residência que consta no cartão. E também toda a gente sabe isso.

Porque:

- Quem não sabe (e quer saber) o número de eleitor pode informar-se na Junta de Freguesia da residência.

- Quem não sabe (e não se quer incomodar), deixa andar e espera que alguém resolva.

- Quem não sabe e gosta de complicar, apresenta-se para votar e quer que alguém tenha a varinha mágica e pachorra para o aturar.

É verdade que com os “simplexes” todos que por aí andam, e com os telemóveis todos que existem, e as internetes em cada canto, ou, se necessário, um simples postal, já era muito bem tempo de cada cidadão, quando o seu recenseamento se concretiza, ser informado, com uma simples mensagem, do seu número de eleitor.

Isto parece elementar, mas, pelos vistos, não é.

Ou, ainda, cada freguesia ter os seus eleitores, num sistema informático restrito, de modo a poder resolver, localmente, hipotéticas dúvidas. Nem sei se isto é possível!

No entanto, e porque assim não é, isso não retira, a ninguém, o dever de se dirigir, atempadamente, à sua Junta de Freguesia, e saber qual o seu número para poder saber onde vai exercer o seu direito de voto.

É uma questão de cidadania e de responsabilidade, também!

 

O.C.



publicado por ouremreal às 02:54
link do post | comentar | favorito

Domingo, 23 de Janeiro de 2011
Um dia de reflexão

Já não é a primeira vez que isto me acontece!

Ou seja, deixo a coisa para a última hora e depois é uma aflição…

Há uns anos (…), andava eu na primária, passei umas férias de Natal, sem me lembrar das cópias, nem dos problemas, menos ainda das tabuadas e da redação, cujo tema era, mais ou menos, “ como passaste as férias de Natal”. Só no sábado à noite, antevéspera do reinício das aulas, me dei conta da enorme tarefa que me esperava naquele belo domingo que aí vinha, mesmo a jeito para mais um dia de brincadeira, com jogo de futebol combinado e tudo, com os amigos lá do sítio.

De facto, foi um domingo para nunca mais esquecer: desde manhã, bem cedo, até à noite, já tarde, de volta de livros e cadernos, sem sair de casa. E não fora a ajuda da mãe…nem sei como teria sido!

Agora, outra vez a mesma história! Ou pior, ainda! Ou seja:

- Deixei passar uma campanha eleitoral, que durou uma eternidade, e devo ter perdido uma série de episódios, certamente os melhores, aqueles em que se deveria ter percebido alguma coisa, porque, daquilo que vi e ouvi…, muito pouco se aproveitou…

E sobre o tema, suposto tema, que deveria estar no centro dos debates…nada.

- Depois, (alguém teve a brilhante ideia de estipular um dia para reflexão), passo um sábado inteiro a fazer nem sei o quê e não refleti nada de jeito!

- Amanhã é dia de votar e nem sequer sei onde é a aldeia da coelha. E isto deve ser importante! Nem quem mora ao lado de quem! Nem descobri como comprar e vender ações do bpn com lucros de 400% (não deve ser tanto!). Nem por que motivo vamos todos à falência (mais ainda?!), se houver segunda volta das eleições. Nem sequer percebo para que serve um Presidente da República. Nem consigo entender como é possível gastar milhões de euros para fazer tanta porcaria. E o mais difícil de tudo é conseguir compreender como é que, no meio desta … (não sei que nome dar a isto…) no meio desta coisa… há pessoas a bater palmas e a dar pulos de contentamento… (a menos que seja para não arrefecerem…com o frio que está…).

E pronto!

O sábado de reflexão está a acabar. É quase meia noite. São horas de dormir. E já não vou ter tempo, muito menos pachorra, para refletir mais. Assim sendo, e o que está refletido, até agora, é que:

- Não vale a pena fazer eleições destas.

- A campanha eleitoral não deveria durar mais de uma semana e com outras regras.

- É um desperdício gastar dinheiro desta maneira. Os impostos que pagamos e os cortes nos salários não podem servir para isto.

- Já sei em quem não vou votar.

Amanhã, espero, vou refletir o resto.

 

O.C.



publicado por ouremreal às 00:13
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

Domingo, 9 de Janeiro de 2011
Incoerências...

Nunca percebi muito bem o motivo por que nunca foi criado, em Fátima, ensino oficial para além do 1.º ciclo, antigo ensino primário.

(Para além da antiga Telescola!)

Mas sempre tive a convicção de que, se isso não aconteceu, foi apenas porque interessou a alguém que assim fosse.

E terá interessado, em primeiro lugar, aos “donos” dos colégios privados que ali se instalaram, com as organizações religiosas a imporem e a conseguirem levar por diante a sua estratégia de, na medida do possível, participarem na vida e controlo da atividade destes estabelecimentos de ensino.

Depois, ao Estado que não teve de investir nas infra-estruturas, não teve de suportar encargos com pessoal docente, nem administrativo, nem auxiliar, embora tivesse de suportar outros encargos, nomeadamente financeiros.

Aos professores que não tiveram que se sujeitar ao penoso percurso de concorrer, ano após ano, a vagas aqui, ali, acolá, para onde a sua posição na lista graduada e os imprevistos de um concurso, muitas vezes “bárbaro” os atirava.

É muito cómodo, e um privilégio que só alguns conseguem, ser convidado/aceite para ser professor num colégio particular!

A todo o pessoal não docente que, desta forma, viu satisfeitas as suas necessidades de emprego.

Aos alunos e às suas famílias que tiraram proveito da situação que lhes foi proporcionada. Naturalmente!

Mas, para que tudo isto possa acontecer, para que estas organizações funcionem, os acordos com o Ministério da Educação estabelecerão o número de turmas de cada uma e os montantes financeiros a transferir.

E, como facilmente se perceberá, esses números (turmas, alunos, dinheiro) vão determinar outros números (docentes, funcionários), os que o orçamento suportar.

Só que as dificuldades orçamentais, as empresas de raiting, os PEC’s, o BPN, o FMI e outros fantasmas que por aí andam, puseram-nos, de repente, a ver o que já devíamos ter visto há muito tempo.

E aqui começa a complicação!

Porque não é fácil, de um dia para o outro, alterar estratégias, quadros de pessoal, ou seja, reduzir despesas, despedir pessoas.

Compreende-se!

Até se compreende que Fátima tenha recebido, no fim de semana, o candidato presidencial Cavaco Silva com velas acesas.

De facto é preciso que se faça luz nalgumas mentes!

O que não se compreende é que o Presidente da República, Cavaco Silva, promulgue uma lei que é a causadora das restrições que vão afetar o funcionamento dos colégios de Fátima e, simultaneamente,

O candidato a Presidente da República, Cavaco Silva, em plena campanha eleitoral, venha a Fátima acolher a manifestação dos protestos contra aquela lei e dizer que não concorda com ela.

Onde está a coerência?

Se não concorda, por que não veta?

Ou, por que não explica, honestamente, por que promulga, discordando?

E, afinal, discorda de quê?

Ou será que é tudo uma questão de cooperação estratégica?

 

O.C.



publicado por ouremreal às 23:26
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

Toupeiras

O crime não compensa!

30 kms / hora

IVA dos partidos político...

Somos os maiores!?

Santana - o exemplar

Terrorismo

Autárquicas 2017 - result...

Autárquicas 2017

Os incêndios e os donativ...

arquivos

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Setembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds