Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007
Conde de Ourém

Estão espalhados pela cidade de Ourém alguns cartazes alusivos ao condado de Ourém e à sua história, com informações que são, mais ou menos, do conhecimento dos oureenses. O que eu não sabia e fiquei a saber é que existe, actualmente, um conde de Ourém, D.Duarte Pio.

A minha ignorância é mais que muita, nestas coisas da monarquia, por isso fico sem saber se se trata de um conde a sério, com condado e tudo, se esse condado existe e que, supostamente, se chamará condado de Ourém, e onde fica, ou se tudo isto é virtual. Como já ando por cá há uns anos e nunca ouvi falar em semelhante coisa, admito que tudo isto se passe na versão do faz de conta e, como tal, possa haver um conde sem condado, que não precisa de ser nomeado, porque já assim nasceu; o que, diga-se, pode ter inconvenientes. Não sei se o sr. D.Duarte alguma vez se sentiu atraído pelo condado de Ourém e, como tal, o título de conde é a satisfação de uma vocação ou de um desejo, ou, se, pelo contrário, isso não passa de uma fatalidade e é conde porque tem que ser; como também não sei se os oureenses, do tal condado, querem este ou outro conde, ou não querem saber de conde nenhum. Até porque, por cá, estamos mais habituados a imperadores e não sabemos bem para que serve um conde nos tempos que correm. Os imperadores sabemos que servem para mandar. Muitas vezes mal! Sem dar cavaco às tropas! Agora um conde...

 

O.C.

 

 



publicado por ouremreal às 17:46
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

Domingo, 23 de Dezembro de 2007
Chamem a polícia !

Quando se fala em polícia, vem imediatamente associada a ideia de segurança, de alguém que está por perto, para ajudar em caso de necessidade, uma presença dissuasora para os prevaricadores  e não a ideia de alguém que está à espreita, à espera duma distracção para logo acorrer, livrinho e esferográfica em riste, para passar a multa. Mas, nesta vida tudo muda e, como não podia deixar de ser, a ideia sobre polícia também está a mudar. Por força do nosso quotidiano, naturalmente. E é pena que assim seja! Polícia começa a ser muito mais um obstáculo a contornar, ou mesmo a evitar. O papel dissuasor, e muitas vezes o sancionatório, estão a prevalecer sobre o outro de ajuda de proximidade. Não por culpa dos seus agentes, mas dos papeis que são obrigados a desempenhar e das tarefas que lhe são atribuídas. É certo que, como em todas as profissões, haverá os bons, os assim assim e os que não serão grande coisa, mas é muito importante que sejam bem mandados, ou comandados, e quem não servir, que seja aconselhado a mudar de vida. Vem esta conversa toda a propósito do que é visível, friso bem, do que é visível, na polícia que se vê na cidade de Ourém. De vez em quando, passa um carro com dois. Em serviço, certamente. Mas que serviço? Passam junto de automóveis mal estacionados, de dia ou de noite, a estorvar quem precisa de andar sobre o passeio, e nada fazem. Os assaltos, principalmente de noite, continuam a acontecer. E de dia também acontecem. Aparecem, a pé, com frequência, junto dos estacionamentos pagos, a ver se há tickets nos carros ou se já estão fora da hora para passar a respectiva multa. São capazes de passar uma tarde com o radar na saída do Regato para multar, e bem, quem ultrapassa os 50, mesmo que não ponha nada nem ninguém em perigo, e não vêem os excessos de velocidade que passam, por exemplo, junto à porta do seu próprio Posto. Foram multar, e bem, alguns automobilistas que no dia da inauguração do Modelo, puseram o carro onde não deviam; mesmo que não estivessem a incomodar ninguém. Não multaram muitos outros que estavam mal estacionados, e a estorvar, só porque não estavam em cima da calçada acabadinha de estrear. Como ignoram, dia após dia, noite após noite, os muitos que continuam a usar os passeios para estacionar, alegadamente porque não há parques de estacionamento. Com a bagunçada que a Câmara Municipal criou no trânsito à volta do hipermercado, com sentidos obrigatórios para um lado, proibições para outro, estacionamentos em contramão e falta de  sítio para parar tanta lata, foi preciso pôr um agente, com automóvel e tudo, à entrada, para garantir melhor visibilidade aos novos sinais que, não só contradizem os da véspera, como colidem com  os traçados do pavimento que não foram retirados. E ali esteve, atento a quem entrava e saía, e completamente indiferente aos que, a poucos metros, estavam mal estacionados e a incomodar. Ora, o desempenho destes papéis e a utilização destes critérios acabam por confundir o comum dos cidadãos e deixam no ar a questão de saber se é, realmente, este tipo de acção que mais credibiliza a nossa polícia. Ou se, afinal, não passamos de um povo altamente indisciplinado a precisar de outra atitude policial.

O.C.



publicado por ouremreal às 00:09
link do post | comentar | favorito

Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2007
20 de Dezembro

O novo Modelo aí está! Tal como se previa! Enfiado numa zona residencial da cidade, com maus acessos, sem estacionamento suficiente, a provocar o caos completo no trânsito automóvel, tanto para quem entra e sai, só para fazer compras ou matar a curiosidade, como para os que residem ali por perto e que perderam o relativo sossego de que ainda desfrutavam.

É ver para crer!

As ruas de acesso foram alvo de alguma cosmética; neste caso não para inglês ver, porque não haverá muitos ingleses por ali, mas para tentar iludir algum pacóvio distraído. Assim, a rua do Vale da Aveleira levou uns metros de alcatrão, passeios de um lado e outro na parte próxima do hipermercado e pintaram-lhe uns traços no chão que não se percebe bem para que servem. A rua dos Álamos, também na parte mais próxima do hipermercado, levou alcatrão novo, passeios, semáforos no cruzamento com a rua Justiniano da Luz Preto e um traço no chão que só serve para atrapalhar. O semáforo não tem qualquer utilidade, não funciona, deve ser só para enfeitar. A rua Albano Rodrigues foi a mais maquilhada; teve direito a duas novas curvas, ridículas e desnecessárias, tem 20 metros de via dupla, com separador central e tudo, e quem nela circular de nascente para poente tem, por força da nova sinalização, de virar para a direita, na direcção do hipermercado, não podendo descer a rua dos Álamos; teve,ainda, direito a uns metros de passeio empedrado, caixotes do lixo enfiados no chão e uns ciprestes, tipo cemitério.

Diria que esta cosmética tornou o local agradável à vista de quem ali chega para fazer compras e vai embora. Pouco funcional para todos os que ali têm que se movimentar e desagradável para quem escolheu aquele sítio para viver. É assim como que uma casinha de bonecas onde, irresponsavelmente, alguns investem o tempo a brincar ao faz de conta e outros vão gastando a paciência a aturar incompetências, caprichos e interesses vários.

E não há quem ponha mão nisto!

 

 

O.C.



publicado por ouremreal às 23:47
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Março 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
16
17

18
19
20
21
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


posts recentes

Toupeiras

O crime não compensa!

30 kms / hora

IVA dos partidos político...

Somos os maiores!?

Santana - o exemplar

Terrorismo

Autárquicas 2017 - result...

Autárquicas 2017

Os incêndios e os donativ...

arquivos

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Setembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds