Terça-feira, 29 de Maio de 2007
O Camelo

Não sei se a palavra otário(s) tem alguma coisa a ver com Ota; e se os entendidos sobre a matéria relacionada com o suposto aeroporto da Ota se podem chamar de otários. Se assim fosse, teríamos, pelo menos, duas categorias de otários: os que são a favor do aeroporto na Ota e os que são contra. Os primeiros, com base em estudos e pareceres de técnicos competentes; os segundos com base noutros estudos e pareceres de outros técnicos, não menos competentes, ao que se diz. Mas haveria, ainda, uma terceira categoria de otários: os que, não percebendo, provavelmente, grande coisa do assunto, têm do mesmo uma opinião tão esclarecida (!) que até se acham no direito de insultar o ministro, o primeiro ministro, o governo, o partido do governo e por aí adiante. Foi assim, nos telejornais desta noite ( vá lá saber-se porquê ), com representantes da JSD de Setúbal, a pastar um camelo, junto a um painel alusivo aos hipotéticos camelos daquela zona. Só que, camelos, propriamente ditos, só se vislumbrava um, que, sobre o aeroporto da Ota, nada disse. Não foi otário. Limitou-se a ser camelo. É que ser camelo já não é nada fácil ! Agora ser-se camelo e otário ao mesmo tempo é demais !

O.C.



publicado por ouremreal às 02:21
link do post | comentar | favorito

Segunda-feira, 7 de Maio de 2007
Carta educativa

A Assembleia Municipal aprovou a carta educativa concelhia. Um documento essencialmente teórico, assente numa realidade ajustada ao objectivo que se pretendia alcançar, feito à pressa, mal divulgado e pior estudado, mas que tinha que ser aprovado, a qualquer custo, para não se correr o risco de ficar fora dos subsídios. Tal como aconteceu com o PDM, a Câmara Municipal, mostrou não ter objectivos definidos, claros, credíveis e exequíveis para curto, médio e longo prazo. É claro que a educação não é uma prioridade para o executivo municipal. E se não é uma prioridade para o executivo, também não o será para a Assembleia, pela simples razão de que o que prevalece é a vontade do PSD e não os interesses das populações. Curioso é o comportamento dos Presidentes de Junta que admitem que este documento seja aprovado contra os interesses das populações que os elegeram. Dividiu-se o concelho em territórios educativos, podia chamar-se-lhe outra coisa qualquer, mudam-se escolas do Agrupamento A para o Agrupamento B, acaba-se com Agrupamentos sem se explicar porquê, pela simples razão de que a Direcção Regional quer que assim seja. Como se sabe, a DREL é uma organização que funciona ali na Praça de Alvalade, num edifício de uns quantos andares, com dezenas de gabinetes e mais dezenas ainda de pessoas, algumas não sabendo bem o que estão a fazer, e que nos seus gabinetes vão desenhando a régua e esquadro, na tentativa de interpretar o que a Ministra da Educação quer que se faça, mas que, na maioria dos casos, não percebem o suficiente dos assuntos para fazer bem o que é preciso fazer.

Exigia-se que houvesse capacidade de diálogo. Mas para haver capacidade de diálogo é preciso haver alternativas para apresentar. E, como ficou claro, a Câmara não tem alternativas para confrontar a DREL. Assim sendo, é mais fácil dizer que a culpa é da DREL...

E a Assembleia Municipal ficou cansada, com o arrastar da reunião e com o peso de um assunto tão pesado, quanto  incomodativo, e tudo teve que ser abreviado e aprovado de qualquer maneira. Lamentavelmente!



publicado por ouremreal às 23:50
link do post | comentar | favorito

mais sobre mim
pesquisar
 
Maio 2018
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
11
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
29
30
31


posts recentes

28 de maio

Toupeiras

O crime não compensa!

30 kms / hora

IVA dos partidos político...

Somos os maiores!?

Santana - o exemplar

Terrorismo

Autárquicas 2017 - result...

Autárquicas 2017

arquivos

Maio 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Julho 2015

Junho 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Setembro 2014

Junho 2014

Maio 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Março 2007

Fazer olhinhos
blogs SAPO
subscrever feeds